segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Volta às aulas*

As aulas estão de volta e com isso estão de volta também muitos sonhos. Os professores sonham com turmas bem comportadas, entusiasmadas, que vibrem no contato com as propostas feitas, sonham com o aumento de salário, o reconhecimento por seu trabalho, o elogio que quase nunca vem, mas como é uma volta e estamos falando de sonhos, tudo é possível.

E o aluno? Quais os seus sonhos? O que esperam nesse retorno às aulas? Se lhes fizermos estas perguntas, acredito que muitos dirão que sonham com bons professores, que a cada aula os reporte a um mundo até então desconhecido, ao mundo do conhecimento e do saber. Sonham com as descobertas que farão e que os levará, certamente, a uma vida melhor, de mais qualidade, onde poderão transpor para fora da sala de aula todo saber adquirido, acrescido da competência de poder transformar o que está errado, lapidar o que ainda não está muito bom ou, até mesmo, manter o que lhes convém.

Os objetivos educacionais caminham bem por esta linha, antes de se cumprir os princípios básicos que regem a educação, ditados pela Lei de Diretrizes e Bases, a nós, professores, cumpre fazer uma reflexão sobre os nossos sonhos e os dos alunos e, encontrar formas de realizá-los, mesmo que seja preciso romper com paradigmas pré-estabelecidos e constituir novos modelos, novas concepções do fazer pedagógico, mais condizentes com as necessidades e expectativas de todos.

Vivemos num mundo de rápidas e significativas mudanças, e isto torna explícita a importância fundamental no recomeçar das aulas. Nada pode ser como era antes. Ninguém passa pelo mesmo ponto, duas vezes, da mesma forma. Nós nos modificamos e o que está a nossa volta, longe ou perto, também se transforma. Aqui cabe, penso eu, perguntas que nos levam à reflexão: Será que podemos voltar à sala de aula como se o tempo houvesse parado, só nos esperando retornar? Será correto e honesto, não sonhar, não buscar ferramentas que implementem esses sonhos? Não viver? Sim, porque já foi dito que aquele que copia o planejamento anterior, repete os mesmos procedimentos, não inova, não cria, este, não pára no tempo, mas dá passos atrás, como caranguejo.

Alerta, Professor! O momento é este! O momento é agora! No retorno às aulas, vamos catapultar os sonhos de todos para o real, fazendo do nosso mundo educacional um mundo de novas descobertas, novas conquistas, novos saberes, um mundo onde o princípio norteador é ser feliz! Feliz volta às aulas!

*Zuleide Blanco Rodrigues
Graduada em Pedagogia (PUC-SP), pós-graduada em Educação (PUC-SP). E-mail: zuleide.blanco@bol.com.br

1 Comentário:

Allisson Alê disse...

A Escola começou Melhor do que estava antes.Parabens Lizete.

Postar um comentário

Comente! Todos os comentários serão bem-vindos, mas reservamo-nos o direito de excluir eventuais mensagens com linguagem inadequada ou ofensiva, bem como conteúdo meramente comercial. A sua opinião é muito importante para nós. Agradecemos a colaboração.

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO